sábado, 21 de maio de 2022

Rock In Rio anuncia The Offspring, Migos e CPM 22 em seu line-up

The Offspring no Rock In Rio 2022

A organização do Rock In Rio acabou de anunciar três novos nomes do line-up em 2022 com The Offspring, CPM 22 e Migos.

As bandas de Punk Rock irão subir ao Palco Mundo no dia 08 de Setembro, enquanto o aclamado trio de Hip Hop tocará no mesmo local quatro dias antes, no dia 04.

Vale lembrar que, dessa forma, o dia 08 de Setembro terá Guns N’ Roses, Maneskin, The Offspring e CPM 22 em sua escalação.

Já o dia 04 terá, além do Migos, os gigantes Justin Bieber, Demi Lovato e IZA.

Punk Rock no Rock In Rio 2022

Após o anúncio, muita gente celebrou a presença de Offspring e CPM 22, mas lamentou que esses shows não aconteçam no mesmo dia em que Green Day, Fall Out Boy, Billy Idol e Avril Lavigne alternarão apresentações na Cidade do Rock.

O dia marcado para a festa Pop Punk é 09 de Setembro.

Ingressos para o Rock In Rio

Além dos novos anúncios, a organização do evento também mandou avisar que a venda de ingressos irá acontecer no dia 05 de Abril às 19 horas.

Você pode encontrar mais informações no site oficial do Rock In Rio.

Francisco, el Hombre tem presença confirmada no Rock in Rio Lisboa

Francisco, el Hombre
Créditos: Julia Pessini e Amare Audiovisual (@amare.audiovisual)

Através de sua conta oficial no Twitter, o Rock in Rio Lisboa anunciou nesta quinta-feira (3) algumas novidades que vão passar pela Rock Your Street da Cidade do Rock neste ano e a banda Franscico, el Hombre está entre as escaladas.

Em diferentes postagens, o festival revelou que tanto o grupo quanto Johnny Hooker estão confirmados no line-up, respectivamente nos dias 25 e 26 de Junho.

Outros grupos e artistas também anunciados são Jupiter & Okwess, Bombino, Paulo Flores & Prodígio, Bruno Pernadas, Omar Souleyman, Arooj Aftab, Idiotape, Titica, Sara Correia e Magdalena Bay.

O novo espaço carrega a promessa de receber continentes, etnias, ritmos e culturas diferentes, trazendo uma nova Rock Street que pretende “dar palco a um mundo feito de todos e para todos”.

Roberta Medina destaca pluralidade do Rock in Rio

Como foi apontado pelo SapoMag, a vice-presidenta do Rock in Rio, Roberta Medina, falou sobre a ideia de dar voz a diferentes culturas em projeto com etapas até 2030:

O Rock in Rio é plural desde que foi criado, em 1985. Na nova Rock Street trazemos, tanto para a cenografia como para a proposta de entretenimento, a nossa filosofia de que o mundo faz muito mais sentido quando somamos tudo aquilo que somos. No Rock in Rio, essa visão está materializada na nossa equipe, composta por várias nacionalidades e mais de 60% de mulheres, nas iniciativas sociais que temos implementado ao longo dos últimos 21 anos, nas pessoas que formamos e empregamos e, este ano, porque é preciso ir mais longe, estabelecemos como uma das metas da organização para 2030 ser um festival 100% inclusivo e plural.

Rock in Rio Lisboa e o School of Rock

Antes do primeiro show de cada dia da próxima edição do Rock in Rio Lisboa, a Rock Your Street vai receber também o projeto School of Rock, que tem como propósito mostrar que a idade não é um obstáculo para quem tem talento.

O Rock in Rio Lisboa 2022 será realizado nos finais de semana dos dias 18, 19, 25 e 26 de Junho no Parque da Bela Vista, na capital portuguesa.

LEIA TAMBÉM: Sebastianismos e Francisco, el Hombre celebram histórias de vida no clipe da incrível “Um Dia Por Vez”

Sean Penn foge andando da Ucrânia até a Polônia por causa da guerra

Sean Penn
Crédito: reprodução

O ator e diretor Sean Penn passou os últimos dias de Fevereiro em Kiev filmando um documentário sobre a guerra entre a Rússia e Ucrânia, mas a tensão do conflito armado fez com que o astro de Hollywood precisasse deixar a capital ucraniana às pressas.

A situação estava tão complicada que Penn, de 61 anos, teve que abandonar seu carro e seguir a pé junto com dois amigos até a fronteira com a Polônia. O próprio ator relatou a terrível experiência em postagem no Twitter na segunda-feira (28):

Eu e dois colegas caminhamos milhas até a fronteira com a Polônia depois de abandonar nosso carro na beira da estrada. Quase todos os carros nesta foto levam apenas mulheres e crianças, a maioria sem bagagem e o carro é o objeto de maior valor.

Confira o post de Sean Penn ao final da matéria.

Documentário de Sean Penn sobre o conflito armado

Sem título divulgado, o documentário de Sean sobre a invasão russa à Ucrânia está sendo desenvolvido em parceria com a Vice Studios, conforme informou a Variety (via G1).

Segundo a Newsweek, Penn chegou ao país comandado pelo presidente Volodymyr Zelensky nesta semana e conversou com membros do governo, militares e jornalistas locais para reunir depoimentos que devem aparecer na produção.

O cineasta, aliás, já havia visitado a Ucrânia e iniciado o planejamento de um filme em Novembro de 2021, o que até foi documentado pelo governo do país com fotos de encontros oficiais com o artista.

O governo ucraniano, aliás, divulgou um comunicado nesta quinta-feira (3) para elogiar as motivações e a conduta de Sean:

Sean Penn está demonstrando coragem que muitos outros não têm, em particular alguns políticos ocidentais. Quanto mais pessoas assim – verdadeiras amigas da Ucrânia, que apoiam a luta pela liberdade – mais rápido podemos parar essa hedionda invasão da Rússia. O diretor veio especificamente para Kiev para filmar os fatos que estão acontecendo atualmente na Ucrânia e para falar para o mundo sobre a invasão da Rússia ao nosso país. Sean Penn está entre aqueles que apoiam a Ucrânia hoje. Nosso país é grato a ele por tamanha demonstração de coragem e honestidade.

Que situação tensa. Parabéns pelo trabalho, Sean!

LEIA TAMBÉM: Sean Penn pede vacina obrigatória: “como ligar o farol do carro à noite”

Ghost revela inspiração em rapper brasileiro para o novo single “Twenties”

Tobias Forge (Ghost)
Foto: Wikimedia Commons

O vocalista do Ghost, Tobias Forge, conversou recentemente com Zane Lowe no Apple Music 1 e revelou qual foi a inspiração da banda para o novo single “Twenties”.

O cantor disse que teve a ideia há cerca de uma década depois de assistir a um programa sobre um rapper brasileiro fazendo show em uma espécie de quintal para milhares de pessoas.

Forge, inclusive, acrescentou que era um tipo diferente de som que trazia uma batida com a qual ele não estava familiarizado (via MetalInjection):

O que eu considero a primeira faísca de inspiração foi assistir a um programa de TV… É tão ruim da minha parte não lembrar sobre o que esse programa era, sobre quem era o programa, mas era como um programa de música; um programa de cultura na Suécia. [Havia essa reportagem] sobre esse rapper brasileiro, acredito, ou artista brasileiro que eu acho que estava operando em algum tipo de nível underground. Ele fazia muitas festas de rua, pelo menos pelo que me lembro. A forma como eu me lembrava desse programa era que ele estava fazendo um show em uma favela. Era como se estivesse tudo escuro, e era como um quintal, e havia milhares de pessoas lá. Foi como uma das coisas musicalmente mais agressivas que eu já vi.

No papo, Tobias lembrou de ter sido marcado na memória pela agitação e alegria que as pessoas demonstravam:

E, digo, eu venho do Death Metal, Black Metal, esse tipo de […] Punk […] que obviamente é uma fonte de prosperidade, não a ideia de ser violento, perigoso e tudo isso… Mas era uma festa. Era só isso. Sincronizado. […] Todo mundo estava pulando, todo mundo estava cantando junto com as músicas, e era muito… Ele era tipo um cachorro muito bravo. Imediatamente, quando eu ouvi isso, era […] claro que eu já tinha ouvido o ritmo antes. Mas era tipo… isso soa como uma maneira divertida de escrever uma música agressiva que eu nunca tinha ouvido. Foi há cerca de dez anos. E eu senti, ‘um dia eu vou escrever algo parecido com isso’.

Você pode ouvir “Twenties” e conferir mais detalhes sobre a canção aqui.

Ghost e novo trabalho de estúdio

A faixa vai aparecer no novo álbum do Ghost, IMPERA, com previsão de lançamento para 11 de Março pela Loma Vista Records. A partir de Abril, a banda iniciará sua turnê europeia com Uncle Acid & the Deadbeats e Twin Temple.

Anteriormente, o Ghost havia divulgado os singles “Call Me Little Sunshine” e “Hunter’s Moon” como prévias para o novo disco, que trará na capa a mesma estética de seus antecessores.

O álbum, por exemplo, apostou forte em simbologia e fez diversas referências ao trabalho de um dos pais do ocultismo, Aleister Crowley, como pode ser melhor compreendido aqui.

LEIA TAMBÉM: Hilário: Ghost recria cena romântica de “Ghost” no Valentine’s Day

Conservador chama Joe Biden de “Kurt Cobain da política” para tentar insultá-lo

Conservador chama Joe Biden de
Foto via Wikimedia Commons | Reprodução / YouTube

O comentarista conservador Ben Shapiro pegou pesado ao criticar o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na última quarta-feira (2).

Em resposta ao discurso de Estado da União realizado por Biden na terça-feira (1º), Shapiro fez um pronunciamento comparando o presidente ao saudoso e lendário Kurt Cobain.

Porém, sua colocação incluiu uma infeliz referência ao suicídio do falecido líder do Nirvana. Ele disse:

Joe Biden é o Kurt Cobain da política. Ele colocou uma espingarda na boca do corpo político americano e depois puxou o gatilho. E os cérebros estão na parede.

Como é de conhecimento geral, aos 27 anos de idade, Kurt tirou a sua própria vida em 05 de Abril de 1994, em uma residência onde vivia em Seattle, nos Estados Unidos. O músico usou uma arma para disparar contra a própria cabeça.

Ben Shapiro compara Joe Biden a Kurt Cobain

Ainda em sua resposta, Ben Shapiro aponta que Joe Biden “teve os piores 14 meses de qualquer presidente dos Estados Unidos de todos os tempos” e afirma que “tudo de ruim que aconteceu nos últimos 14 meses é uma ferida completamente autoinfligida”.

Como aponta o CoS, esta não é a primeira vez que Shapiro comenta sobre a cultura pop. Em 2020, o conservador ficou bastante incomodado com o hit “WAP”, de Cardi B e Megan Thee Stallion.

Com o intuito de compartilhar com o público sua opinião, Ben recitou a letra do single linha por linha e em todas as partes em que a palavra “pussy” (que em tradução livre significa vagina) aparecia, ele mencionava como “palavra com p”.

Confira no vídeo abaixo o infeliz comentário de Ben Shapiro.

Paulo André e Arthur Aguiar cantam na Festa do Líder do BBB e internautas já pedem dupla; vídeo

Paulo André e Arthur Aguiar
Crédito: reprodução

Na noite desta quarta-feira (2), aconteceu no Big Brother Brasil a Festa do Líder de Paulo André, participante do programa que venceu a mais recente prova pela liderança da semana.

Por ser atleta e ter competido nas Olimpíadas de Pequim no ano passado, o jovem de 23 anos escolheu o tema Vila Olímpica para inspirar a decoração da festa, que contou com performances musicais dos próprios participantes.

Quem se destacou ao soltar a voz foi justamente Paulo André, que fez alguns duetos com Arthur Aguiar, que já canta profissionalmente há anos. A dobradinha ao vivo conquistou a galera dentro da casa e também aqui fora, sendo um dos assuntos mais comentados nas redes sociais na manhã de hoje (3).

Uma das primeiras canções do show acústico foi o hit “Solução”, do UM44K. Inclusive, Luan Otten, vocalista do duo, gostou tanto do que viu que foi ao Twitter pedir que PA e Arthur ligassem para ele quando deixarem a casa mais vigiada do Brasil, como você confere ao final da matéria.

Paulo André e Arthur Aguiar cantaram outros sucessos no BBB

Os brothers também chamaram a atenção ao executarem “Que Sorte a Nossa”, sucesso da dupla sertaneja Matheus e Kauan, e até cantaram “Cedo ou Tarde”, do NX Zero, a pedido de Laís. A sister perdeu o pai poucas semanas antes de entrar no reality show e quis homenageá-lo através do show promovido pelos participantes.

Confira a seguir alguns trechos da apresentação e outros tuítes sobre a performance musical dos brothers!

LEIA TAMBÉM: Linn da Quebrada volta a ser vítima de transfobia no BBB: “estou implorando pela minha vida”

Yoshiki (X Japan) lidera movimento que arrecadou quase R$18 milhões para a Ucrânia

Yoshiki
Divulgação

Lenda do Rock no Japão, o multi-instrumentista Yoshiki, líder do X Japan, teve uma atitude incrível com relação ao conflito entre Rússia e Ucrânia.

O baterista e pianista usou sua influência nas redes sociais — onde acumula quase 900 mil seguidores só no Twitter — para compartilhar um link de doações para os ucranianos que estão sofrendo com os ataques russos.

É claro que ele abriu o próprio bolso e desembolsou a generosa quantia de 10 milhões de ienes, que equivale a cerca de R$435 mil, mas o resultado mais impressionante veio realmente de seus seguidores: uma nova postagem do músico mostra que já foram arrecadados mais de 400 milhões de ienes, o equivalente a quase R$18 milhões em ajuda humanitária.

As doações estão sendo feitas por meio deste link e são destinadas diretamente para o Fundo de Assistência de Crise Emergencial Humanitária da Ucrânia. Que continuem assim!

Yoshiki no TMDQA!

Vale lembrar que, em 2020, o TMDQA! teve a oportunidade de bater um papo com Yoshiki para o lançamento de seu especial no YouTube.

Na entrevista, falamos sobre o projeto em questão, bem como a possibilidade de um retorno ao Brasil após a pandemia e até a relação do músico com o anime Attack on Titan, ao qual cedeu uma música para servir como abertura. Confira aqui.

Aurora Gordon resgata grupo capixaba Os Mamíferos em novo single

Aurora Gordon resgata grupo capixaba Os Mamíferos em novo single
Foto: Reprodução / Youtube

Entre os anos de 1967 e 1971, o grupo Os Mamíferos marcou a contracultura do estado do Espírito Santo. Agora, para resgatar essa obra tão importante, a Aurora Gordon propõe releituras do repertório deles com intuito de colocá-los em diálogo com a contemporaneidade.

“Corina” é o primeiro single divulgado e antecede a chegada de um disco completo intitulado Via Aérea. Também foi lançado um registro da performance da faixa ao vivo. A regravação mescla rock e jazz com a essência da música brasileira, sem perder o arranjo original.

Murilo Abreu, idealizador do projeto, explica que a música nunca foi apresentada ao vivo pelo grupo capixaba, apesar dela ter sido composta em 1968 e de estar sempre presente nos ensaios e jam sessions:

Foi uma criação praticamente inexplorada naquele momento e que somente agora ganhou uma primeira versão oficial. Essa canção traz uma visão bem humorada e debochada do contexto político e histórico vivido pel’Os Mamíferos na época, como censura e repressão política na ditadura militar de 1964.

Murilo conta que Afonso Abreu, que formou Os Mamíferos ao lado de Mario Ruy e Marco Antônio Grijó, fez algo visionário: utilizou um gravador para registrar um trecho de “People Make the World Go Round“, gravada por Milt Jackson no álbum Sunflower, e depois com o mesmo gravador cantou a melodia e a letra de “Corina” por cima desta base. Dessa forma, ele provavelmente se tornou um dos pioneiros na utilização de samplers no Brasil.

Aurora Gordon

Para além de dar luz ao contexto histórico da música brasileira marcado pelo movimento contracultural, a finalidade do projeto é — acima de tudo — incentivar pesquisas sobre nomes que possam ter caído no esquecimento coletivo.

“O Aurora Gordon acontece através da reunião de pessoas e artistas que carregam uma admiração pela história do som capixaba. Seus integrantes se identificam sonoramente e artisticamente com as letras, canções e melodias daquela contracultura”, finaliza Murilo.

Ouça “Corina” logo abaixo, um lançamento do selo Casulo.

Lollapalooza Brasil anuncia Lolla Party com A Day To Remember e Alexisonfire

A Day To Remember e Alexisonfire farão shows paralelos ao Lollapalooza Brasil
Crédito: reprodução

Já entramos no mês em que será realizado o Lollapalooza Brasil 2022, mas o festival ainda reservava surpresas para o público.

Nesta quinta-feira (3), o evento anunciou em sua conta oficial no Twitter que a programação das Lolla Parties será completada com shows de A Day To Remember e Alexisonfire no dia 24 de Março.

As duas bandas dividirão o palco da Audio, em São Paulo, e os ingressos já estão disponíveis aqui. No dia anterior, em 23 de Março, a banda australiana King Gizzard & the Lizard Wizard abre as Lolla Parties com apresentação no Cine Joia.

“É muito bom poder retomar o Lollapalooza Brasil com os detalhes e as características que o nosso público ama. As Lolla Parties são um bom exemplo disso. Em breve, também vamos dar detalhes de outros serviços que tornam a experiência do festival ainda mais completa, como a disponibilidade de lockers e de transfers,” comenta Francesca Brown Alterio, diretora de marketing e da área de festivais da Time For Fun.

O Lollapalooza Brasil acontece nos dias 25, 26 e 27 de Março no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, e vale lembrar que restam poucos ingressos para o festival. A compra das entradas pode ser feita no site oficial (com taxa) e na bilheteria oficial (sem taxa).

Confira ao final da matéria o post do evento sobre as Lolla Parties no Twitter!

Protocolos contra a COVID no Lollapalooza Brasil

De acordo com a produção do festival, para a entrada do público, será necessário apresentar o comprovante de vacinação (físico ou virtual) com, no mínimo, duas doses da vacina contra a COVID, assim como é obrigatório o uso de máscara dentro do local, com retirada autorizada apenas para o consumo de alimentos e bebidas.

Para a segurança dos fãs, artistas e equipe, os organizadores do Lollapalooza Brasil estão em contato constante com os órgãos locais de saúde e de segurança pública para seguir todas as recomendações vigentes diante da pandemia.

O público do evento, inclusive, receberá atualizações regulares com informações importantes sobre os procedimentos e políticas de segurança para a entrada no local.

LEIA TAMBÉM: Lollapalooza Brasil: saiba quando chegarão as pulseiras e como retirá-las

Lolla Parties com King Gizzard, A Day to Remember e Alexisonfire

Serviço das Lolla Parties:
King Gizzard & the Lizard Wizard @ Cine Joia
Data: 23 de março (quarta-feira)
Endereço: Praça Carlos Gomes, 82 – Sé, São Paulo

A Day To Remember e Alexisonfire @ Audio
Data: 24 de março (quinta-feira)
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 694 – Barra Funda, São Paulo

Jack White mistura guitarras, violões e Rap em inédita com Q-Tip; ouça

Jack White
Foto por David James Swanson

Jack White está de volta com mais músicas inéditas de seus dois novos discos que serão lançados este ano.

O aclamado músico disponibilizou nas plataformas digitais o single “Hi-De-Ho”, que chega em parceria com o rapper Q-Tip (A Tribe Called Quest) e apresenta em sua sonoridade elementos do Rock e do Hip-Hop. A música irá integrar o disco Fear Of The Dawn, que será lançado em 8 de Abril.

Jack também compartilhou o single mais intimista “Queen Of The Bees”, que estará no repertório de seu outro disco Entering Heaven Alive, previsto para 22 de Julho.

Novos discos de Jack White

Os dois álbuns que chegam pela Third Man Records, gravadora do próprio White, são os primeiros lançamentos do cantor e compositor desde o álbum Boarding House Ranch, de 2018.

Anteriormente, Jack White liberou as canções “Taking Me Back”, “Love Is Selfish” e a faixa-título do primeiro disco, “Fear Of The Dawn”.

Após o lançamento do primeiro disco, White embarcará em sua primeira turnê desde 2019. O músico começa suas apresentações no dia 8 de Abril em Detroit e segue na estrada até Agosto.

Ouça os singles “Hi-De-Ho” e “Queen Of The Bees” abaixo!

Além de “DONDA 2”: Kanye West e uma discografia repleta de álbuns (e atrasos) grandiosos

Kanye West em 2016
Foto de Kanye West via Shutterstock

Por João Hermógenes

Depois do enorme sucesso de DONDA, o rapper Kanye West fez (dentre muitas outras coisas) algo inesperado: anunciou, apenas 5 meses depois, uma sequência ao mesmo, levando o título de DONDA 2.

A data de lançamento era 22 de fevereiro, quando o artista deu uma festa de audição numa arena lotada — algo que chamou muita atenção no disco anterior, onde apenas depois de três eventos e diversas mudanças nas músicas o álbum chegou ao público — mas o álbum não saiu. O incrível é que, na verdade, ninguém realmente acreditava que DONDA 2 seria lançado na data. E talvez seja melhor assim.

O primeiro disco rendeu a Kanye quatro indicações ao Grammy, incluindo a de Álbum Do Ano, categoria à qual o rapper não era indicado desde 2008, com Graduation. Com 27 faixas e 1 hora e 48 minutos de duração em sua primeira versão e algumas canções mais na versão Deluxe, é difícil acreditar que tenha algo na história ou sonoridade do disco que Ye não tenha conseguido dizer.

Além disso, a vida pública do artista tem sido bem turbulenta, com um divórcio no meio de tudo isso, rendendo diversos posts um tanto vergonhosos no seu Instagram. É justo dizer que ele não está no melhor momento, pelo menos mentalmente, para se dedicar a um disco que leva o nome de sua mãe.

Inicialmente, quatro faixas foram disponibilizadas no Stem Player, um produto de audição musical que dá a liberdade ao ouvinte de fazer algumas alterações na música enquanto ouve (como cortar o instrumental ou aumentar o volume da voz), e supostamente será o único meio para se ouvir o disco.

A qualidade delas é bem questionável, acima de tudo por não soarem como faixas finalizadas, com versos mal escritos e performados e mixagem original ainda incompleta. Claramente Kanye não cumpriu a deadline, ainda que tenha divulgado um total de 16 músicas até o momento da publicação desta matéria — praticamente as mesmas que foram apresentadas na festa de audição, apenas com a troca de “Mr. Miyagi” por “Keep It Burning”.

Tudo isso está longe, bem longe, de ser novidade. Na verdade a novidade seria se o álbum saísse na data programada, algo que Kanye quase nunca fez em sua carreira. Além disso, alguns álbuns anunciados já foram completamente descartados, tendo virado apenas um amontoado de faixas vazadas ou ideias reutilizadas posteriormente (como por exemplo “Hurricane”, faixa destaque de DONDA, que foi mostrada pelo artista como uma prévia de Yandhi ainda em 2018).

Continua após o Tweet

Vamos então relembrar o histórico completo dos álbuns solo de Kanye West no que diz respeito à data de lançamento anunciada!

The College Dropout (2004)

O álbum de estreia de Kanye West foi lançado em 10 de fevereiro de 2004, após 4 anos de gravações. A primeira data programada era agosto de 2003, mas o perfeccionismo de Kanye fez com que o lançamento fosse adiado para outubro e depois para o dia 27 de janeiro de 2004, a data oficial.

Nessa última, sem culpa para o MC: diversas faixas do disco vazaram na internet, e ele resolveu mudar todas elas. Segundo o colaborador GLC, Kanye simplesmente disse “Ok, então eu só vou ter que fazer o álbum melhor”. E assim ganhamos um clássico.

Late Registration (2005)

Kanye West - Late registration

O segundo álbum da carreira do MC saiu dia 30 de agosto de 2005 com menos atrasos. A primeira data foi 12 de julho e depois 16 de agosto do mesmo ano, com os adiamentos sendo só porque ele não considerava o álbum pronto.

Graduation (2007)

Esse é uma enorme exceção: o lançamento do álbum foi adiantado. Marcado para sair dia 18 de setembro, pouco antes Kanye trouxe o lançamento para o dia 11 para fazer a icônica batalha de vendas com 50 Cent, que lançou o disco Curtis no mesmo dia. E Ye venceu.

808s & Heartbreak (2008)

Kanye West - 808s & Heartbreak

Teve a data de lançamento anunciada para dia 17 de dezembro, mas o artista disse que sairia em novembro e depois o anunciou para o dia 25. Acabou saindo dia 24 por ser véspera do feriado de Ação de Graças.

My Beautiful Dark Twisted Fantasy (2010)

A magnum opus da carreira de Kanye West veio com dois atrasos: primeiro estava marcado para 14 de setembro, depois 12 de outubro. A data seguinte foi 22 de novembro, e foi o dia que o álbum saiu.

Yeezus (2013)

Kanye West - Yeezus

Na data, sem mais nem menos. A internet está repleta de histórias sobre a loucura que foi a finalização do disco com Rick Rubin, mas o cronograma foi cumprido e Yeezus chegou ao público no dia 18 de junho de 2013.

The Life Of Pablo (2016)

Kanye West - The Life of Pablo

Depois de lançar um disco na data, nada mais justo que atrasar quase 2 anos, né? O álbum foi anunciado para 2014 com o título So Help Me God; Kanye sumiu, o título mudou para Swish, depois para Waves, depois Swish de novo até finalmente chegar a The Life of Pablo só dois dias antes da data prevista, que era 11 de fevereiro.

Mas ele atrasou nessa também e o álbum só chegou dia 14 como um exclusivo da plataforma de streaming Tidal, e ao resto das plataformas no dia 01 de abril.

ye (2018)

Kanye West - ye

Em meio a uma sequência em que Kanye West seria o produtor de 5 discos lançados semanalmente em um período de um mês, o segundo da lista era o seu. Como um atraso destruiria todo o funcionamento, o álbum saiu na data com apenas algumas horas de atraso. Lançado dia 01 de junho.

JESUS IS KING (2019)Kanye West - JESUS IS KING

Inicialmente o artista tinha Yandhi como seu próximo álbum, perdendo datas em setembro e novembro de 2018. O hype em torno do disco só crescia durante o primeiro semestre de 2019 com os famosos Sunday Services, onde cada vídeo de Kanye West e o coral trazia um pouco mais de ansiedade ao público.

A surpresa veio em agosto, quando o álbum foi anunciado com o novo título e uma tracklist claramente voltada ao cristianismo, diferente do que vinha sendo a carreira do artista. A primeira data, então, para Jesus Is King foi 27 de setembro. Depois, Kim Kardashian, sua então esposa, disse que sairia dia 29. Após algum silêncio, a data final de 25 de outubro foi anunciada e o álbum saiu, mesmo que com horas de atraso.

DONDA (2021)

Kanye West - DONDA

O álbum que homenageia a mãe de Kanye teve a data de lançamento de 23 de julho anunciada no intervalo das finais da NBA.

O MC simplesmente fez a festa de lançamento e sumiu, sem lançar o álbum. Depois a data de 06 de agosto foi divulgada, uma nova festa de audição foi feita… e nada. Em seguida veio a terceira festa no dia 27 e… nada até o dia 29 de agosto, quando o álbum chegou ao público, segundo o artista, com lançamento feito pela Universal Music sem a aprovação dele.

Vale lembrar que Kanye havia prometido um álbum intitulado God’s Country para junho de 2020.

Incrível: baterista de 7 anos arrebenta e toca Slipknot na TV aberta — assista

Baterista de 7 anos toca versão incrível de
Reprodução / YouTube

Um fã mirim do Slipknot participou do The Ellen Show na última quarta-feira (2) e fez uma cover da aclamada banda de metal em plena TV aberta dos EUA.

O baterista de sete anos de idade chamado Caleb Hayes mostrou todo seu talento no instrumento tocando de forma sensacional uma versão adaptada de “Sulfur”, que integra o disco All Hope Is Gone, lançado em 2008 pelo grupo.

Em seguida, o garotinho sentou para conversar com a apresentadora Ellen DeGeneres e revelou que começou a tocar bateria aos dois anos de idade, seguindo os passos de seu pai. Ele ainda apontou que o Slipknot é sua banda favorita.

Realizando um desejo de Hayes, Ellen presenteou o jovem com uma caixa assinada por Jay Weinberg, o baterista do Slipknot. O garoto estava economizando para conseguir comprar o instrumento.

Após a exibição do programa, Weinberg utilizou sua conta do Instagram para elogiar o talento de Caleb Hayes. Ele disse:

Mais uma vez, você deixou todos os seus irmãos mais velhos no Slipknot orgulhosos! Que maneira de aproveitar o momento e entregar um desempenho fantástico. Tão feliz por ver você arrasar no [The Ellen Show], e que você está indo para casa com uma nova caixa. Toque com força e com frequência, meu amigo – eu sei que você vai!

Fã mirim do Slipknot impressiona na bateria

Esta não é a primeira vez que Caleb Hayes chama atenção da comunidade do metal. No início de 2020, o garotinho ficou famoso na internet após viralizar com um vídeo tocando bateria invisível durante um show do Slipknot.

Menos de duas semanas depois, o fã sortudo foi convidado por Jay Weinberg para subir no palco ao final de um show para tirar uma foto com ele e a multidão, e também com a banda completa nos bastidores.

Confira a participação de Caleb no The Ellen Show e em seguida veja as fotos dele com o Slipknot!

“Bando de idiota”: Ed Motta chama rockeiros de “misóginos, burros e de direita”

Ed Motta detona rockeiros em vídeo
Reprodução/Instagram

Nos últimos dias, Ed Motta tem sido um dos assuntos mais comentados da música brasileira por algumas declarações pra lá de polêmicas.

Além de ter detonado músicos como Raul Seixas e Johnny Cash, Ed também aproveitou sua live para falar de forma geral contra o “pessoal de Rock”. Em trecho compartilhado pelo baixista Felipe Andreoli (Angra) no Instagram, ele diz:

O pessoal de Rock é de direita, misógino, burro e tocador de pentatônica. Puta que pariu! Um bando de idiota, tá? Porra!

Em sua publicação, Andreoli perguntou apenas a opinião de seus seguidores sobre a fala de Ed e pediu para que eles deixassem “recados carinhosos” para o cantor, além de ironizar o vídeo com a hashtag #SeBeberNãoPoste.

Ed Motta detona rockeiros em vídeo

E, seguindo os pedidos de Felipe, diversas pessoas relacionadas ao gênero apareceram por lá. Um deles foi o companheiro de banda do baixista, o guitarrista Marcelo Barbosa:

Velho… Ele só pode estar querendo aparecer… (ou ficou maluco). Não é possível que ele realmente pense isso…

Outro a se pronunciar foi Júnior Groovador, o “baixista dançarino” que tocou junto com o Tenacious D em show no Rock in Rio:

Ed Motta tá precisando de sexoooooooooooooooo groovado pra deixar de falar merda [risos]. Misturar [política] com música…

Um dos comentários mais sérios foi feito por Beto Lee:

Mano, deixa ele falar. Peixe morre pela boca. Tiozinho tá lelé.

Diversas outras personalidades como Alírio Netto, Bruno Sutter e Cacau Santos também deixaram recados, mas fechamos aqui com destaque para uma longa (e ótima) explicação do baixista PJ, do Jota Quest:

O Rock está em todos os lugares e é de longe o estilo musical mais inclusivo de todos, sempre foi aberto a todos na sua essência. Freddie Mercury, Cássia Eller e Janis [Joplin] só para citar alguns. O Rock sempre foi o estilo porta voz de vários movimentos sociais, a canção ‘Hurricane’ do [Bob] Dylan é um marco contra o racismo, a obra ‘The Wall’ do Roger Waters é uma severa crítica aos rígidos padrões da sociedade capitalista, ‘Beds Are Burning’ do Midnight Oil e ‘Oxigênio’ da minha banda abordam o tema do ambientalismo, ‘I Want to Break Free’ do Queen sobre a emancipação dos direitos das mulheres e por aí vai! Ficaria aqui até amanhã citando exemplos.

Quanto ao tipo de escala usada, harmonia ou técnica para se expressar, isto pouco importa na música. Vamos apelar para o clichê ‘o menos é mais’…. na verdade o feeling, o coração e a mensagem/poesia da letra sempre falam mais alto que técnica e virtuosismo. Vamos entender mais o Rock na sua origem? Porque se não fosse ele o mundo estaria muito, mas muito pior! Não vou falar nem da inclusão social, racial e religiosa que o Rock sempre promoveu. Enfim, não é em todos os estilos de música que você encontra tanta diversidade assim.

Você pode conferir a postagem de Andreoli logo abaixo.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Felipe Andreoli (@felipeandreoli)

Olivia Rodrigo é eleita Mulher do Ano pela Billboard e faz discurso inspirador para jovens artistas

Olivia Rodrigo é eleita mulher do ano pela Billboard
Reprodução / YouTube

A talentosíssima Olivia Rodrigo é a Mulher do Ano, de acordo com a Billboard.

Depois de conquistar uma legião de fãs com seu aclamado disco de estreia SOUR, lançado em Maio do ano passado, a cantora de 19 anos de idade foi homenageada durante o Billboard Women in Music Awards 2022.

Olivia foi responsável pela performance de abertura da cerimônia que aconteceu na noite desta quarta-feira (2) no YouTube Theatre, em Inglewood, na Califórnia. Por lá, a estrela do Pop cantou seu hit “deja vu”, e você pode conferir a apresentação no vídeo ao final da matéria.

Mais tarde, Rodrigo foi convidada para receber o prêmio de Mulher do Ano após uma introdução da lendária Sheryl Crow, que aproveitou o momento para elogiar o trabalho da artista.

Em seu discurso de agradecimento, Olivia Rodrigo citou a dificuldade de ser uma “jovem mulher na indústria da música” e falou sobre a importância das artistas e compositoras que vieram antes dela.

Além disso, a cantora enviou uma mensagem inspiradora para outras garotas que se dedicam a escrever suas músicas e prometeu que está trabalhando para fazer do “mundo e desta indústria um lugar melhor para vocês”.

Leia ao final da matéria o discurso na íntegra de Olivia (via Billboard), bem como o vídeo da fala completa e a performance de “deja vu”.

Olivia Rodrigo

Desde que lançou seu primeiro single “drivers license”, Olivia tem surpreendido a indústria com seu sucesso.

A cantora se tornou a segunda artista mais jovem a concorrer nas quatro maiores categorias do Grammy. Rodrigo foi indicada para Álbum do Ano, Canção do Ano, Gravação do Ano e Melhor Artista Revelação, saiba mais aqui.

Olivia Rodrigo agradece após ser eleita Mulher do Ano

Isso é tão legal. Em primeiro lugar, quero agradecer a Sheryl por estar aqui hoje. Sheryl, sou uma grande fã sua e de suas composições e estou muito grata por você estar aqui, isso realmente significa o mundo. Quero parabenizar todas as outras indicadas incríveis desta noite: sua arte e trabalho são tão incríveis e estou completamente maravilhada com todas vocês e tão, tão inspirada. Obrigada Billboard, é uma grande honra ser nomeada a Mulher do Ano. Tantos momentos surreais aconteceram ao longo deste incrível ano passado e este é definitivamente um deles, então obrigada.

Não há um dia em que eu não pense na sorte que tenho de poder chamar isso de meu trabalho. Escrevo músicas desde muito jovem, e é absolutamente a minha coisa favorita de fazer e uma saída emocional para mim. O que eu mais amo na composição é sua capacidade de capturar perfeitamente como me sinto, melhor do que qualquer coisa que eu poderia ter dito em uma conversa. Compor sempre foi tudo para mim, então que as pessoas se conectem com a minha música é mais do que um sonho tornado realidade e muito obrigada.

Nem sempre é fácil ser uma jovem mulher na indústria da música, mas eu encontrei muita força nas compositoras e artistas que vieram antes de mim e abriram o caminho e abriram portas para tantas mulheres jovens como eu. E é isso que é tão incrível sobre este evento: todas as mulheres aqui hoje estão trabalhando para quebrar essas barreiras e mudar a narrativa e apoiar umas às outras e estou tão inspirada por todas as mulheres incríveis nesta sala. E quero agradecer a todas pelo apoio. Estou apoiando todas vocês.

E quero dizer a todas as meninas que estão escrevendo músicas todos os dias em seus diários no chão de seus quartos: estou constantemente comovida com sua vulnerabilidade e sua criatividade e bravura e prometo que todas aqui hoje estão trabalhando para fazer desse mundo e desta indústria um lugar melhor para vocês. Por fim, quero agradecer à minha equipe, minha incrível equipe e minhas gravadoras Interscope e Geffen, e meu incrível colaborador Dan Nigro. Eu não poderia ter feito isso sem vocês. E, claro, obrigada a todas as mulheres fortes, inteligentes e gentis com quem tenho a sorte de trabalhar e chamar de amigas. Eu admiro muito todas vocês. Obrigada pessoal, amo muito vocês, tenham uma ótima noite.

Robert Smith revela título e possível data do aguardado novo disco do The Cure

The Cure e uma performance inesquecível de
Reprodução/YouTube

Para a felicidade dos fãs que estão aguardando ansiosamente pelo próximo trabalho do The Cure, o frontman Robert Smith revelou algumas novidades sobre os dois próximos discos da banda.

Nesta quarta-feira (2), o lendário músico participou do BandLab NME Awards 2022, onde apresentou ao lado do CHVRCHES a faixa “How Not To Drown”, lançada em parceria com a banda, e também uma versão do clássico “Just Like Heaven”, do The Cure.

Nos bastidores da premiação, Smith conversou com a NME sobre os próximos lançamentos de sua banda e compartilhou que um dos novos discos será “real muito em breve”. Ele disse:

Eu tenho trabalhado em dois álbuns do Cure, e um deles está finalizado. Infelizmente, é o segundo que está finalizado. [No outro] eu tenho que fazer quatro vocais, e há 10 músicas em cada álbum. Vamos mixar no próximo mês em 1º de abril, então tenho três semanas restantes.

Eu sei como se chama — se chama ‘Songs Of The Lost World’. Tem obras de arte, tem uma ordem de execução, está quase pronto! Eles são tão lentos por causa do vinil, mas pode chegar em setembro. Preferia que saísse logo. Não suporto a expectativa.

Novos discos do The Cure

Robert Smith ainda foi questionado sobre a sonoridade presente nos novos materiais e, em sua resposta, aproveitou para citar seu novo disco solo. Ele explicou:

Bem, o primeiro álbum do Cure é implacável. É a coisa mais sinistra que já fizemos. O segundo é otimista, e meu [solo] não será lançado até o próximo ano.

Eu tenho que continuar revisitando isso. É uma coisa que eu queria fazer há tantos anos. Percebo que só tenho uma chance de fazer isso, então agora comecei a adicionar instrumentos reais e instrumentos acústicos, enquanto desta vez, há dois anos, era literalmente apenas [barulhos] — mas fiquei um pouco desencantado com isto. Eu ouvi umas três vezes e achei que era uma porcaria.

No início deste mês, o líder do The Cure provocou seus fãs prometendo que a banda tocaria novas músicas no próximo show que acontecer. Acredita-se que isso pode ser por volta de Outubro, quando o grupo tem uma turnê pela Europa marcada, como te contamos aqui.

Enquanto Robert Smith não revela suas músicas inéditas, ele recebeu no BandLab NME Awards 2022 o prêmio de Melhor Canção do Reino Unido por sua colaboração com o CHVRCHES.

Johnny Marr diz que há “zero chance” de voltar a trabalhar com Morrissey

Fotos: Wikimedia Commons

Johnny Marr voltou a falar sobre seu ex-colega de The Smiths, Morrissey, mesmo depois de um pedido do cantor para que ele não o mencionasse em suas entrevistas.

Durante uma conversa com Steve Wright, da BBC Radio 2, o guitarrista disse que há “zero chance” de voltar a trabalhar com Morrissey algum dia (via Independent).

O músico também revelou que já se passaram “18 ou talvez 15” anos desde que ele falou com Morrissey pessoalmente pela última vez.

Os dois fundaram o The Smiths em 1982 e, desde que o grupo se separou em 1987, não se dão bem. Apesar disso, Marr e Morrissey seguem tocando músicas da banda em seus shows solo.

Johnny Marr e Morrissey

Como falamos acima, no início deste ano o ex-frontman dos Smiths expressou seu incômodo com as colocações de Johnny e publicou uma carta aberta direcionada ao ex-colega pedindo a ele que por favor parasse de mencionar seu nome durante suas entrevistas.

Marr não demorou muito para responder o pedido do cantor e, em uma mensagem cheia de sarcasmo, disse que “uma ‘carta aberta’ não é mais o lance desde 1953, hoje em dia é tudo ‘social media'”.

Após esse embate, o guitarrista citou novamente Morrissey ao dizer que ele e o cantor provavelmente brigariam por política caso os Smiths ainda existissem, por mais que nunca tenham feito isso anteriormente. Saiba mais aqui.

Novas músicas: Pixies, TOOL, Papa Roach, Foals e Nilüfer Yanya

Pixies
Foto: Travis Shinn

Após um hiato de quase três anos por conta da pandemia, o Pixies está de volta com o single “Human Crime”, que veio acompanhado de um clipe liberado no YouTube.

Escrita por Frank Black, também conhecido como Black Francis e/ou Charles Thompson, a faixa foi gravada em Los Angeles no outono americano de 2021. Este é o primeiro lançamento do grupo desde a chegada do disco Beneath the Eyrie (2019).

TOOL

TOOL
Foto por Travis Shinn

Para comemorar o 30º aniversário do EP Opiate, lançado em 1992, o TOOL divulgou a versão reimaginada e estendida do single clássico. Intitulada “Opiate²”, a reedição está disponível em todas as plataformas de streaming e virá ainda em formato BluRay, com lançamento previsto para 18 de Março.

Além de trazer o primeiro clipe feito pela banda em 15 anos, o material incluirá um livro de arte de 46 páginas com fotos dos bastidores e do making of, entrevistas e insights de convidados especiais.

O TOOL também anunciou a chegada em vinil de seu mais recente disco, Fear Inoculum (2019), que deve ser disponibilizado em 8 de Abril.

Papa Roach

Papa Roach
Foto: divulgação

O Papa Roach anunciou oficialmente que seu novo álbum, Ego Trip, será lançado em 8 de Abril pela New Noize Records em parceria com a ADA Worldwide.

A novidade chegou junto com a canção “Cut The Line”, que carrega a guitarra e bateria enérgicas e pesadas da banda e refrães crescentes. A música ganhará um clipe nesta sexta-feira (4) e Ego Trip marca o 11º álbum de estúdio na carreira do Papa Roach.

Foals

Foals em Manchester, 2019
Foto: Reprodução / Instagram

O Foals anunciou o álbum Life Is Yours, com lançamento previsto para 1º de Junho pela ADA.

“Queríamos reorientar e fazer algo que compartilhasse um DNA em todas as músicas: uma fisicalidade, uma dança, e com energia e alegria. É, definitivamente, o álbum mais Pop que já fizemos. Eu sinto que com ‘Everything Not Saved’ nós tocamos em todas as facetas do nosso som até aquele ponto. Desta vez, queríamos encontrar uma nova maneira de nos expressar,” disse o vocalista Yannis Philippakis.

O novo disco da banda trará os singles “2am” e “Wake Me Up”, que ganharam clipes recentemente. O Foals tem shows marcados no Reino Unido e na Europa nas próximas semanas, além de datas em festivais agendados para o verão no hemisfério norte.

Nilüfer Yanya

Nilüfer Yanya

A cantora Nilüfer Yanya lançou a música “the dealer” como forma de antecipar o álbum PAINLESS, que chegará na íntegra nesta sexta-feira (4).

“Quando eu estava escrevendo essa música, eu estava pensando sobre a natureza transitória da vida e a natureza cíclica das estações. Acho interessante como ligamos certas memórias e sentimentos a diferentes estações e tendemos a revisitá-las uma e outra vez, mas nossas vidas se movem em um movimento mais linear e mesmo quando sentimos que estamos voltando, nunca conseguimos voltar a lugar nenhum. Musicalmente falando, é um pouco mais divertido e descontraído,” disse Yanya sobre o lançamento.

Anteriormente, ela havia liberado os singles “otherlife” “midnight sun” e “stabilise”, que também farão parte de seu segundo disco.

Ghost surpreende com um “quase baião” pesadíssimo na inédita “Twenties”

Papa Emeritus IV, do Ghost

O Ghost está de volta com mais um single de seu aguardado disco IMPERA e a novidade de hoje certamente vai surpreender até mesmo os grandes fãs da banda.

Em “Twenties”, o grupo liderado por Tobias Forge/Papa Emeritus IV aposta em uma sonoridade cheia de groove que lembra — e muito — o baião brasileiro. A diferença, claro, é que os instrumentos tradicionais do gênero foram substituídos por guitarras pesadíssimas e a bateria ainda tem detalhes impressionantes em pedal duplo.

De forma geral, a canção soa como se tivesse saído de uma espécie de musical bizarro (no melhor sentido da palavra) e definitivamente adiciona uma nova camada de dimensão ao trabalho, que chega na íntegra em 11 de Março.

Ouça “Twenties” ao final da matéria ou clicando aqui!

IMPERA

Anteriormente, o Ghost divulgou os singles “Call Me Little Sunshine” e “Hunter’s Moon” como prévias. Você pode ver mais detalhes sobre o novo disco por aqui.

Um detalhe bem interessante, no entanto, fica por conta da capa de IMPERA. Além de adotar a mesma estética incrível dos antecessores, o álbum apostou forte em simbologia e fez diversas referências ao trabalho de Aleister Crowley, um dos pais do ocultismo. Entenda melhor nesta matéria.

Ghost – “Twenties”

Epic Games, do Fortnite, compra a plataforma Bandcamp

Epic Games compra o Bandcamp

A Epic Games, gigante conhecida por ser a desenvolvedora de jogos como Fortnite, Gears of War e Rocket League, acaba de fechar a compra da plataforma de streaming Bandcamp.

Famoso principalmente entre músicos que buscam alternativas ao streaming tradicional, o Bandcamp ganhou notoriedade por seus pagamentos mais justos aos artistas. Seu modelo favorece o pagamento aos criadores, fazendo com que eles fiquem com cerca de 80-82% de cada venda na plataforma.

De acordo com o CEO da empresa, Ethan Diamond, isso não vai mudar:

Nós continuaremos operando como um marketplace e como comunidade musical independente, e eu vou continuar liderando a nossa equipe. Os produtos e serviços dos quais vocês dependem não vão a lugar nenhum.

No entanto, nos bastidores, estamos trabalhando com a Epic para uma expansão internacional e para aumentar o desenvolvimento do Bandcamp. Desde coisas básicas como páginas de álbuns, aplicativos para celular, ferramentas de merch, sistema de pagamento e ferramentas de pesquisa e descoberta até novas iniciativas como nossa prensagem de vinil e serviços de transmissão ao vivo.

Ainda em seu comunicado, Ethan garantiu que as Bandcamp Fridays — sextas especiais em cada mês nas quais 100% do rendimento de um artista é dado a ele — continuarão existindo.

Epic Games compra o Bandcamp

A Epic Games também emitiu um comunicado sobre a compra, que foi feita por um valor não divulgado. A gigante elogiou a “plataforma justa e aberta” e complementou:

A Epic e o Bandcamp compartilham uma missão de construir a plataforma mais amigável aos artistas que permite que criadores retenham a maior parte do seu tão suado dinheiro. O Bandcamp terá um papel importante na visão da Epic de criar um ecossistema de mercado para criadores com relação a conteúdo, tecnologia, games, artes, música e mais.

No mínimo interessante, hein?

Acusado de abusos, Marilyn Manson processa Evan Rachel Wood por difamação e mais

Evan Rachel Wood e Marilyn Manson
Fotos Stock via Shutterstock

Inundado por acusações de abuso sexual, agressão e mais, Marilyn Manson parece realmente convencido a provar que não é culpado de nada — pelo menos judicialmente.

Nesta quarta-feira, o cantor abriu um processo no Tribunal Superior de Los Angeles para acusar a atriz Evan Rachel Wood, a primeira a fazer qualquer tipo de acusação contra ele e responsável por abrir caminho para uma chuva de relatos, de “difamação, danos morais e falsidade ideológica na internet”.

No processo, Manson também cita uma amiga de Evan, Illma Gore, de fazerem com que ele seja percebido pelo público “como um estuprador e abusador — uma falsidade maliciosa que degringolou a carreira bem-sucedida de [Manson] na música, TV e cinema”. Ele também volta a citar uma “conspiração” de todas as envolvidas.

Ele busca reparação por danos causados pelas acusações e ainda alega que Evan Rachel Wood teria cometido falsidade ideológica ao fingir ser uma agente do FBI, sugerindo que ela agiu dessa forma para que a mídia acreditasse que uma investigação federal contra Marilyn estava acontecendo.

Manson também afirma que Wood e Gore “enviaram checklists e scripts a possíveis acusadoras, listando os atos específicos de supostos abusos dos quais elas deveriam acusá-lo”, alegando ainda que elas fizeram afirmações falsas às mulheres em questão, como por exemplo de que teria “filmado o abuso sexual de uma menor de idade” — algo que ele considera judicialmente como difamação.

Marilyn Manson quer danos morais e julgamento

Nos documentos citados em reportagem da Rolling Stone, Manson afirma ter sido vítima de um ataque hacker por parte de Gore, que é acusada de ter disparado pornografia através do e-mail do cantor para que ele pudesse ser investigado pela polícia sob falso pretexto.

Através de seu advogado Howard King, Manson diz que quer receber “uma quantia a ser especificada em julgamento” de danos morais por toda a situação. King ainda diz:

Esse processo detalhado foi criado para parar com uma campanha de ataques maliciosos e sem justificativa contra Brian Warner [nome verdadeiro de Manson]. Anos depois do fim do relacionamento a longo prazo de Evan Rachel Wood com Warner, ela e sua namorada Illma Gore recrutaram inúmeras mulheres e as convenceram a fazer alegações falsas contra ele — alegações que Wood e Gore roteirizaram para elas.

O advogado afirma, também, que possui “provas irrefutáveis” da conduta de Wood e Gore. Em tempo, te contamos por aqui há alguns meses que Manson sugeriu um acordo financeiro para encerrar todas as acusações contra si.

Evan Rachel Wood lançará documentário

O processo de Manson vem logo antes do lançamento de Phoenix Rising, um documentário estrelado por Wood que vai ao ar na HBO (nos Estados Unidos) neste próximo dia 15 de Março e promete detalhar todos os abusos cometidos pelo cantor.

Sobre o tema, o advogado de Manson acusa a produtora e a emissora de televisão de “estarem cientes dos sérios atos de má conduta” de Wood e Gore, afirmando que a escolha deles de prosseguir com o lançamento da série é algo que “não tem uma preocupação com fatos”.

Você pode saber mais sobre Phoenix Rising por aqui, conferindo inclusive o trailer do lançamento.

Slash afirma ter desprezo pela cena musical que revelou o Guns N’ Roses

Slash fala sobre a
Reprodução/YouTube

O Guns N’ Roses pode ter sua trajetória associada à famosa cena de Sunset Strip, rua de Los Angeles que cedeu seu nome por ter dado origem às maiores bandas de Rock nos anos 1980.

Porém, Slash desprezava o próprio local ao qual ele e seu grupo liderado por Axl Rose estavam inseridos.

Em entrevista para a UCR, o guitarrista fez a revelação e criticou o tipo de música que estava aparecendo ao mesmo tempo que o GNR:

Eu odiava a cena toda, cara. Pelo menos se você estivesse no Reino Unido, você tinha algumas bandas legais que representavam os anos 80, pelo menos do ponto de vista do Rock’n’Roll e do Metal. Você tinha uma música muito legal e com credibilidade saindo. Mas, em Los Angeles, era apenas besteira. E [o GNR] estava surgindo no meio de tudo isso.

Slash explicou que parte do que lhe deixara enojado com a cena estava relacionado às motivações de outras bandas:

Todo mundo estava se convertendo para o padrão da indústria para conseguir um contrato de gravação e conseguir garotas, essa coisa toda. A posição da nossa banda era a antítese de tudo isso, e é algo de que tenho muito orgulho.

Apesar de sua declaração, o roqueiro declarou ter grande respeito por alguns artistas que surgiram na mesma cena musical antes do Guns:

Tenho lembranças maravilhosas de Los Angeles desde quando eu tinha sete anos até os 12 anos. Eu meio que fui criado na cena musical de Los Angeles, e foi ótimo. Eu a vi passar por essas tendências musicais na minha curta vida até aquele momento. Mas o que se transformou nos anos 80 foi algo irreconhecível do ponto de vista da integridade e do ponto de vista criativo. A coisa toda foi meio que diluída. Devo dizer, em retrospectiva, que pelo menos foi emocionante nos anos 80, pelo menos houve uma cena. Agora, não há nenhuma cena de LA. Mas havia uma grande cena acontecendo nos anos 60 e nos anos 70. Foi realmente identificável e realmente revolucionário musicalmente. E nos anos 80 virou outra coisa.

E aí, concorda?

Slash ft. Myles Kennedy and the Conspirators

Algumas semanas atrás, Slash liberou seu novo álbum com Myles Kennedy e a banda The Conspirators.

O disco do supergrupo recebeu o título 4 e os integrantes atualmente estão em turnê pelos Estados Unidos para divulgar o lançamento. Já o Guns N’ Roses está programado para retornar à estrada em Maio.

LEIA TAMBÉM: Slash se declara pelo Black Sabbath e elege o riff mais pesado da história do Rock

Dua Lipa é processada por banda de reggae que a acusa de plágio em “Levitating”

Dua Lipa
Foto por Hugo Comte

A banda de reggae Artikal Sound System entrou com um processo na justiça contra Dua Lipa por acreditar que a canção “Levitating” copiou sua música “Live Your Life”, lançada em 2017.

Como foi apontado pelo TMZ (via NME), a ação movida pelo grupo da Flórida no tribunal federal de Los Angeles acusa a artista britânica e a gravadora Warner de violação de direitos autorais.

Nos autos processuais, os integrantes pedem quaisquer lucros obtidos com a canção gravada em parceria com DaBaby para o álbum Future Nostalgia (2020), além da cobertura por danos.

A banda alega por meio da ação judicial que as duas faixas são tão semelhantes que é “altamente improvável que ‘Levitating’ tenha sido criada de forma independente”. O Artikal Sound System diz ainda que Dua teria tido “acesso” a “Live Your Life” antes do lançamento de seu single.

Até o momento do fechamento desta reportagem, os representantes dos envolvidos no processo não retornaram para comentar o caso.

Compare as duas músicas ao final da matéria e tire suas próprias conclusões!

Artikal Sound System acusa Dua Lipa de plágio

Fundado como um duo em 2012 por Chris Montague e Fabian Acuña, o Artikal Sound System virou um quinteto quando entraram no projeto Christopher Cope, o baterista Adam Kampf e o vocalista Logan Rex.

Em seu site, eles definem a música que fazem como “o som da amizade, trabalho duro, imaginação e a esperança de espalhar uma mensagem de amor e a importância de se divertir”.

LEIA TAMBÉM: “Não é o que meus fãs querem ouvir”: Dua Lipa diz que novo disco vai soar diferente de “Future Nostalgia”

Avril Lavigne canta nova música com Travis Barker e blackbear na TV; vídeo

Travis Barker e Avril Lavigne
Crédito: reprodução

Na última segunda-feira (28), Avril Lavigne apresentou a canção “Love It When You Hate Me” no talk show de Jimmy Kimmel para divulgar o álbum Love Sux, lançado na semana passada.

Acompanhada no palco por Travis Barker e por blackbear, que também gravou a faixa no estúdio ao lado da cantora canadense e do baterista do blink-182, Avril cantou o single rodeada por enormes balões pretos e sob um fundo vermelho que exibia o título de seu mais recente disco.

As cores fazem alusão ao sétimo trabalho na carreira da artista, que ainda traz feats com Machine Gun Kelly e Mark Hoppus nas músicas “Bois Lie” e “All I Wanted”, respectivamente.

Em Love Sux, Avril explora novamente a pegada do Pop Punk e contou com a produção de nomes famosos do gênero, como o próprio Travis Barker.

Assista ao vídeo da apresentação do trio no Jimmy Kimmel Live! no final da matéria!

Avril Lavigne e edição comemorativa de Let Go

Prestes a completar 20 anos em 2022, o disco de estreia de Lavigne, Let Go, vai ganhar uma edição comemorativa para marcar a data.

O icônico álbum foi lançado em 4 de Junho de 2002 e estourou no mundo inteiro através de hits como “Complicated”, “Sk8ter Boi”, “I’m With You”, “Losing Grip” e “Mobile”.

Em 9 de Setembro, Avril deve mostrar seus grandes sucessos — e as novas canções — no Palco Sunset do Rock in Rio. No mesmo dia, o evento receberá no Palco Mundo os headliners Green Day e Fall Out Boy.

LEIA TAMBÉM: Honrada com feat, Avril Lavigne revela discos preferidos do blink-182 a Mark Hoppus

Corey Taylor diz que Joey Jordison era “uma das pessoas mais talentosas” que já viu

Slipknot celebra Joey Jordison
Reprodução/Facebook

Corey Taylor voltou a falar de seu ex-colega do Slipknot, o saudoso baterista Joey Jordison.

O músico, que foi um dos fundadores da lendária banda de Heavy Metal em 1995 e se desligou do grupo em 2013 por “motivos pessoais”, nos deixou em Julho do ano passado aos 46 anos de idade.

Taylor passou a conviver com Jordison a partir de 1997, quando substituiu o vocalista original Anders Colsefni na banda. Ao lado do baterista, o cantor gravou seus quatro primeiros discos de estúdio: Slipknot (1999), Iowa (2001), Vol.3: (The Subliminal Verses) (2004) e All Hope Is Gone (2008).

Recentemente, Corey Taylor participou de uma sessão de perguntas e respostas do Mad Monster Party. Por lá, o frontman comentou sobre seus primeiros encontros com Joey Jordison e revelou que, assim que soube da notícia da morte do baterista, ligou para Shawn “Clown” Crahan, que também fundou o grupo, para saber como ele estava. Ele contou (via Metal Injection):

Essa é difícil. Isso me atingiu com força, mesmo que eu não o visse ou falasse com ele há muito tempo. E não vou entrar em certas coisas, mas vou dizer que atingiu todos nós muito duramente.

A primeira pessoa pra quem liguei foi o Clown para ter certeza de que ele estava bem. Porque aqueles caras… eu me lembro de quando eu ia ver os dois no posto de gasolina em que Joey trabalhava — tipo, lá atrás. E ele costumava trabalhar de madrugada.

Quando eu não estava trabalhando na loja de pornografia, eu ia até lá. E eles estavam sempre tramando, eles sempre sentavam juntos tramando. É tipo, ‘Eu tenho essa porra de ideia. Tudo bem? Nós vamos incendiar nossos rostos’. E eu fiquei tipo, ‘Não. Você não vai fazer isso de verdade’.

Joey Jordison e Slipknot

Em seguida, Corey admitiu que ainda é difícil pensar que Joey faleceu. Por isso, o Slipknot presta uma homenagem em seus shows ao baterista e também a Paul Gray, ex-baixista da banda que morreu em 2010. O vocalista declarou:

Toda aquela história e todas as memórias vieram naquela época. E sua saúde obviamente fazia parte disso. E foi triste porque esse homem era provavelmente uma das pessoas mais talentosas que eu já vi na minha vida… foi muito, muito cedo. E isso partiu meu coração.

Independentemente do que aconteceu entre nós, partiu meu coração. Foi difícil… Ainda é difícil pensar nisso. Eu penso nisso agora e não parece real. Então isso nos atingiu com a mesma força. É uma das razões pelas quais prestamos homenagem a ele e Paul no final do show – para garantir que as pessoas percebam que mesmo que ele tenha ido embora, ele ainda é parte da família e sempre será.

No ano passado, Taylor compartilhou com seus seguidores um registro histórico em homenagem ao seus ex-colegas de banda Joey Jordison e Paul Gray. Veja aqui.

Você pode conferir a participação completa de Corey Taylor no Mad Monster Party no vídeo abaixo.

Phoebe Bridgers deve cancelar apresentação no Lollapalooza, diz jornalista

Phoebe Bridgers
Foto via Wikimedia Commons

ATUALIZAÇÃO: O Lollapaloza Brasil confirmou o cancelamento da apresentação de Phoebe Bridgers “devido a um imprevisto de última hora”. Ainda não foram anunciados detalhes sobre uma possível atração substituta. Abaixo, segue a matéria original.

Os fãs de Phoebe Bridgers que planejavam ver a cantora no Lollapalooza Brasil podem começar a se preparar para a decepção.

De acordo com o jornalista José Norberto Flesch, especializado no showbusiness brasileiro e geralmente ligado a fontes confiáveis da indústria, a cantora não vai mais se apresentar no festival. Ela estava confirmada para tocar no domingo, 27 de Março, último dia do evento.

Em um vídeo postado no seu canal do YouTube, Flesch explica que Phoebe teve um “conflito de agenda”, mas não deu “um grande motivo” para o cancelamento. Ele ainda complementa afirmando que a cantora também não se apresentará nas datas do festival na Argentina e no Chile.

Vale lembrar que a informação ainda não foi publicada oficialmente por nenhum veículo ligado ao Lollapalooza ou a Phoebe e, portanto, não há qualquer detalhe sobre uma possível atração substituta. Mesmo assim, as redes sociais já foram tomadas por comentários de pessoas anunciando a venda de seus ingressos pela ausência de Phoebe.

Ficaremos ligados para mais informações!

Phoebe Bridgers pode não ser a única baixa do Lollapalooza Brasil

No mesmo vídeo, Flesch ainda deixa claro que Phoebe Bridgers pode não ser a única baixa do Lollapalooza Brasil.

O momento de retomada dos shows, a princípio, deve seguir normalmente e não há qualquer indicação de outro possível cancelamento. No entanto, o jornalista pede cautela e atenção para possíveis quedas nos próximos dias.

O Lollapalooza Brasil está marcado para os dias 25, 26 e 27 de Março. Veja mais informações por aqui.