Venda de guitarras tem salto similar à era pós-Beatles e números empolgam fabricantes

Editor da revista Music Trades acredita que a alta procura pelo instrumento em plena pandemia deve continuar nos próximos anos

Eddie Van Halen será homenageado com linha de guitarras
Divulgação
 

O editor da revista Music Trades, Brian T. Majeski, escreveu um editorial para a publicação afirmando que existe atualmente uma explosão nas vendas de guitarra e que ela deve continuar nos próximos anos (via GuitarWorld).

Sob o título “Will The Guitar Boom Outlast COVID?”, o artigo compara o impacto na indústria nos dias atuais ao boom dos anos 1960 após o estouro da Beatlemania, que registrou milhares de guitarras vendidas pelo mundo por influência da obra de John Lennon e companhia.

Segundo dados levantados pela revista, em 1950, a venda de guitarras girava em torno de 200 mil unidades; já em 1971, quando os Beatles estavam mais do que consolidados, este número subiu para 2,5 milhões. Até mesmo quando as vendas começaram a cair, era perceptível que “uma minoria considerável persistia” com o instrumento.

Pesquisa da Fender corrobora opinião do editor

Uma pesquisa recente da Fender, uma das fabricantes mais populares do instrumento, aponta que a pandemia da COVID provocou o aquecimento do mercado e foi responsável por estimular a prática de se tocar guitarra, o que permitiu que aparecessem 16 milhões de novos guitarristas.

Os dados só ajudam a corroborar a otimista projeção realizada por Majeski:

A importação de violões no primeiro semestre de 2021 atingiu a marca de 1 milhão de unidades, o que representa um número 35% maior do que qualquer período de seis meses nos últimos dez anos. Durante o mesmo período, a importação de guitarras alcançou a marca de 965 mil unidades e também representou um aumento de 35% em relação às médias históricas. As fábricas de guitarra nos EUA estão funcionando com produção a larga escala para atingir as metas em 2022.

Majeski acredita que o fato das pessoas estarem confinadas em casa tenha relação direta com a demanda excessiva pelas guitarras. Em seu texto, ele ainda destaca que um curso online e gratuito promovido pela Fender em Março de 2020 gerou mais de 1 milhão de assinaturas na plataforma, sendo que cerca de 250 mil acabaram virando assinaturas pagas.

E aí, já comprou sua guitarra?

LEIA TAMBÉM: Jerry Cantrell (Alice in Chains) elege o maior guitarrista da cena Grunge

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.